Reflexões » Comportamento

Não desista

30.06.2014 Samia Assaf

 

Mudei muito de planos ao longo da vida. Desisti de uma porção de coisas. Não segui caminhos que as pessoas costumam chamar de “pé no chão”. Deixei empregos, fiz viagens pelo mundo, transitei entre profissões. Acabei não fazendo da minha carreira uma linha reta – ou ascentende. Em vez disso, escolhi experimentar. Descobri que de fome eu não morro, porque fui capaz de assumir uma porção de atividades diferentes e, também, de aprender muitas coisas. Descobri também que apesar disso tudo parecer lindo e corajoso, acabei convivendo com uma leve sensação de culpa e de vazio inevitáveis. Como se eu fosse uma pecinha de quebra cabeça que não encontrasse seu lugar na figura toda. Todo mundo sente falta de um propósito, de um sonho digno do seu esforço e perseverança, de um caminho que você não quer ter vontade de abandonar, nem nos maus tempos.

É como a busca do amor. As pessoas não fazem isso com os relacionamentos? Raramente se casam com o primeiro namorado, então porque seria mais fácil escolher um caminho profissional para se dedicar durante toda uma vida? A gente só entende o que é ter uma profissão mesmo quando já estamos formados e atuando, assim como só descobrimos o que é uma vida juntos, quando a compartilhamos com alguém, num casamento, seja ele de papel passado ou não.

Acertar nas escolhas profissionais é um trabalho que dura a vida inteira, um trabalho que exige muito auto-conhecimento. Primeiro a gente tem que estar disposto a se entender, depois ter a capacidade de reconhecer seus próprios talentos – e, diga-se de passagem, também suas limitações – depois a coragem de ter um sonho qualquer que seja, desde que seja seu de verdade , depois ter confiança suficiente naqueles seus talentos para acreditar que eles podem te levar até o fim da caminhada. Bem, fácil não é.

Fica mais difícil ainda se a gente parar pra pensar que, talento por si só, nem é o que vai mesmo te levar a lugar algum. Tá cheio de gente talentosa por aí, trabalhando pra gente tapada. E nem pense que sorte pode ser a resposta, porque nem ela costuma aparecer pra quem não está a procura de nada. É muito fácil acreditar que o sucesso de certas pessoas era óbvio, que estava na cara que esse ou aquele indivíduo iria dar certo na vida, depois de ele já ter dado certo. Mas por trás de toda história de glórias, normalmente tem um caminho cheio de pedras,  sem nenhum glamour, muito menos gentilezas.

A diferença entre um vencedor e o resto está em uma coisa, principalmente: perseverança. Ele é aquele que elege a busca e, realmente, não recusa a travessia, já sabendo que ela poderá acontecer de uma infinidade de maneiras possíveis, cheias de altos e baixos. As pessoas que chegam lá sabem que a vida é um eterno se virar, que não existe escolha segura, caminho mais garantido, soluções previstas antes dos problemas. Elas sabem que tudo vai ser difícil, que um monte de coisas vão dar errado, que um monte de mudanças precisarão acontecer pra tudo começar a dar certo. Por isso, essas não são as pessoas que vão confiar em planos de vida. São as que vão ter, sim, objetivos de vida, sagrados para elas. Os planos elas repensam, recalculam, ou completamente reinventam, conforme as circustâncias que surgirem ao longo do caminho.

Pensando em gente conhecida e famosa, pra ficar mais fácil de exemplificar…. Já jogaram moedinhas no palco do Renato Russo, antes da Legião Urbana ter lançado um disco sequer. Imagina se ele tivesse desistido de tudo ali? Gisele Bundchen (acreditem ou não) já foi recusada em agências de modelos por ter nariz grande. Imagina o quanto deve ter se sentido burra a pessoa que disse isso pra ela. Brian Acton, um dos criadores do WhatsApp, já se candidatou a vagas de emprego no Twitter e no Facebook e foi recusado pelas duas empresas. Acabou  desenvolvendo depois, junto com um sócio, o aplicativo que foi vendido por US$ 19 milhões para a última delas.  A Netshoes passou o primeiro mês do site sem vender nenhum par de sapatos sequer. Hoje a empresa é uma gigante, que vende em torno de 35 mil itens por dia.

Não importa o tipo ou tamanho do sucesso que você pretende ter, ele não virá se você resolver abandonar a estrada. Se não estiver disposto a criar soluções alternativas para os problemas que aparecerão. Quantas forem preciso, até achar aquela que funcione.  Ninguém está predestinado a ser vitorioso. Mas o sucesso pode estar no destino de qualquer um. Ele vai aparecer na história de quem tiver um sonho verdadeiro o suficiente para não desistir dele.

 

 

Sou publicitária formada pela ESPM e jornalista formada pela Católica UniSantos, com experiência profissional em planejamento de comunicação e cursos de especialização em marketing digital, também realizados na ESPM. Amo tudo o que é criativo, não sobrevivo sem música, sou apaixonada por viagens, adoro aprender coisas novas, adoro gente simples e espontânea, minha maior paixão é escrever!