Coisas Legais » Das Amigas » Estilo de Vida

Por cosméticos mais naturais

23.03.2015 Karla Cunha

 

Você já ouviu falar nos fitocosméticos?

Há uns dois meses eu me interessei pelo assunto, na verdade, buscar por alternativas mais naturais e saudáveis, tanto na alimentação como em outras áreas da sua vida, acaba sendo um caminho espontâneo quando se está convencido de que essas são as melhores escolhas.

Foi então que resolvi experimentar a dupla de shampoo e condicionador natureba, por estarem livres dos principais ingredientes químicos tão prejudiciais ao meio ambiente e à nossa saúde.

multivegetal arganFiz uma pesquisa em alguns sites especializados e optei pelos itens de argan da Multi Vegetal , que são livres de parabenos, sal, corantes, fragrâncias artificiais, ingredientes de origem animal, derivados de petróleo e carbômeros, além de não serem testados em animais.

Meus cabelos são bem secos, por isso não tenho o hábito de lavá-los com muita frequência, mas mesmo estando ainda com os primeiros itens comprados, já notei mudanças significativas que me fizeram optar de vez pelo shampoo e condicionador naturais em minha lista de cosméticos pessoais.

Ah, foi depois de ler uma matéria também sobre o movimento Low Poo (abreviação em inglês para pouco shampoo) que esse tema me chamou a atenção, você conhece o conceito?

 

O que é o Low Poo?

 

As técnicas do movimento, amplamente divulgadas pelo livro “Curly Girl”, escrito por Lorraine Massey, são especialmente indicadas aos cabelos cacheados, por serem mais ressecados e frágeis, já que a oleosidade do couro cabeludo não é distribuída por todo cabelo. No caso dos cabelos lisos, o óleo produzido na raiz rapidamente está em toda a extensão da fibra capilar, mas qualquer tipo de cabelo pode se beneficiar das orientações.

No Low Poo usa-se shampoo sem sulfato, pois, segundo o movimento, o lauril éter sulfato de sódio limpa além do necessário e resseca os fios, ou seja, a limpeza é tão profunda que a oleosidade natural dos fios é arrancada.

 

Sobre os fitocosméticos

 

São cosméticos naturais elaborados com óleos, manteigas vegetais e extratos de plantas medicinais e com vantagens cientificamente comprovadas aos que buscam aliar beleza e sustentabilidade.

Sua formulação com ativos naturais resulta em efeitos significativamente superiores em relação aos produtos sintéticos, já que existe um cuidado especial na escolha dos ingredientes.

São divididos em 3 grupos: orgânicos, naturais e de matéria prima orgânica e não possuem conservantes, silicones, parafinas, óleos minerais, aromas ou fragrâncias sintéticas, polietilenoglicóis e queternários de amônios.

 

Por onde começar?

 

Aos que gostariam de experimentar os fitocosméticos, recomendo a loja (física ou virtual) Flor & Ser Orgânicos, que trabalha com vários itens e marcas selecionados justamente por esses diferenciais.

Foi lá que comprei o sabonete artesanal de copaíba e lavanda da Fefa Pimenta e também a máscara de argila vermelha da Arte dos Aromas que super recomendo!

 

sabonete de copaíba e lavanda e máscara facial de argila vermelha | Imagem: arquivo pessoalduas imagens pessoais do sabonete e da máscara de argila.

Sabonete de copaíba e lavanda e máscara facial de argila vermelha | Imagem: arquivo pessoal

 

Aliás, preciso compartilhar com vocês que estamos muito felizes aqui em casa em ir cada vez menos ao supermercado, em ter optado por uma alimentação mais saudável e em ter prazer ao escolher os itens que farão toda a diferença em nossas vidas a longo prazo, principalmente por sermos pais de uma criança pequena.

Também é importante ressaltar que alguns itens são realmente mais caros que os convencionais, cabe a você priorizar o que vale a pena ser substituído e entender, de uma vez por todas, que pagamos “barato” por itens que são verdadeiras porcarias em nossas vidas, produzidos na maioria dos casos sem qualquer respeito aos envolvidos, salvo exceções, claro.

Entender as diferenças em todo o processo produtivo, desde a escolha das matérias primas, do envolvimento de mão de obra local, das questões sociais, das embalagens, da distribuição e transporte, são os pontos fundamentais que classificam ou não um produto como verdadeiramente sustentável.

Lembre-se disso ao comprar apenas pelo preço, é uma questão de priorizar escolhas, pois o barato pode sair bem caro ao longo do tempo.

Sou arquiteta, formada pela Universidade Católica de Santos e pós graduada em Gestão e Tecnologias Ambientais pela Escola Politécnica da USP. Hoje sou sócia da Item 6, escritório especializado em projetos arquitetônicos e paisagísticos que respeita os conceitos sustentáveis e também escrevo em um blog sobre o tema. Além disso, sou mãe, estou sempre na correria tentando conciliar trabalho e vida pessoal, mas sempre feliz em busca de novos desafios.