Coisas Legais » Das Amigas » Pais e Filhos

Sou mãe, mas não a melhor mãe do mundo

11.11.2014 Tatiana Porto

 

Eu podia me apresentar para vocês como a Tatiana, mas pra falar a verdade atualmente sou mais conhecida como a “Mãe do João e da Luiza”. E é assim mesmo depois que a gente tem filhos. Na minha primeira gravidez, ouvi muito que eu “esquecesse”, pois dali pra frente perderia a identidade e o centro das atenções seria o bebê. Um grande clichê que agora repito pra vocês, pois ele é real! Ainda mais no meu caso, que decidi dar uma pausa no lado profissional para viver essa experiência da maternidade integralmente.

Depois que fui mãe descobri que inúmeros clichês são de fato verdadeiros, e talvez o maior deles seja: “Não sou a melhor mãe do mundo, mas sou a melhor mãe que meu filho pode ter”. Ficamos neuróticas em busca da perfeição, em fazer tudo certo para criarmos um filho maravilhoso e,  depois de muito bater a cabeça e sentir muita culpa, descobrimos que essa meta é inatingível (não sem antes nos sentirmos a pior mãe do planeta e afirmarmos milhões de vezes que não nascemos pra isso).

Tive meu primeiro filho na época em que a blogosfera materna estava no auge. Havia muitos blogs de mães de primeira viagem e grupos de discussão surgindo, o que era ótimo para mães que estavam no puerpério poderem conversar com outras mães e, assim,  dividir um pouco da rotina estafante que é cuidar de um recém-nascido. Mas aí também morava um problema: era um espaço que propiciava as comparações, análises e julgamentos. Parto normal X cesárea; amamentação X complemento artificial; ficar em casa X trabalhar fora; babá X creche; uma infinidade de duelos que não levavam a lugar nenhum.

Bom, tudo isso foi pra dizer que a partir de agora vou estar por aqui pra falar sobre filhos e família, às vezes com humor, às vezes com ironia, às vezes como desabafo, mas que nunca vou entrar no mérito do certo X errado. O que funciona, ou funcionou, pra mim pode não funcionar pra minha vizinha (e vice-versa), mas mesmo assim somos, com certeza, a mãe certa para o filho que temos. Enfim, espero compartilhar um pouco das minhas experiências e,  se eu conseguir fazer com que alguma mamãe não se sinta sozinha nessa viagem alucinante que é a maternidade, já ficarei feliz!

 

Formada em Administração com ênfase em Marketing pela ESPM, hoje exerço uma profissão que sempre esteve dentro do meu coração: sou mãe em tempo integral de dois lindos pequeninos: João e Luiza. Com isso, também sou dona de casa, recreadora, professora, enfermeira, cozinheira, motorista, palhaça particular e administradora de um e-commerce de roupas e acessórios para bebês e crianças.